SOUC 2015: igrejas do Brasil promovem unidade com diversidade

Uma visão de unidade cristã acompanhada por respeito pela diversidade inspirou o processo de elaboração dos materiais deste ano da Semana Nacional de Oração pela Unidade dos Cristãos e Cristãs (SOUC). O grupo responsável pelo material, formado de representantes de igrejas e organismos ecumênicos, ressaltou o valor da unidade cristã numa época em que a intolerância religiosa cresce ao redor do mundo. O material é publicado em parceria pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e pelo Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos.

Tradicionalmente celebrada entre 18 e 25 de janeiro (no hemisfério Norte) ou em Pentecostes (no hemisfério Sul), a edição deste ano, que será comemorada entre 17 e 24 de maio, enfoca um tema inspirado no evangelho de João: “Dá-nos um pouco da tua água”.

Enviado em 2012 pela Comissão de Fé e Ordem do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), o convite para preparar o material foi, ao mesmo tempo, uma oportunidade e um desafio para o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC). Liderado pelo presidente, dom Manoel João Francisco, e pela secretária-geral, pastora Romi Bencke, o CONIC reuniu um grupo de representantes de suas igrejas-membro e membros fraternos, como o Centro de Estudos Bíblicos (CEBI) e o Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI).

O grupo de trabalho reuniu-se em fevereiro e março de 2013 e concluiu a proposta em julho. O Comitê Internacional designado pelo CMI e pelo Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos reuniu-se em setembro de 2013, em São Paulo, Brasil, para finalizar o material.

“O grupo brasileiro e o grupo internacional conviveram e trabalharam juntos durante cinco dias na periferia de São Paulo em setembro de 2013. O grupo internacional teve uma rica experiência de descoberta da realidade brasileira e dos desafios à unidade cristã, inseparáveis da luta contra a intolerância cultural e religiosa que cresce no Brasil”, lembrou o Dr. Odair Pedroso Mateus, um dos coordenadores da Comissão de Fé e Ordem do CMI.

O tema de 2015 foi inspirado pelo Evangelho de João, que fala do encontro de Jesus com a mulher samaritana, um símbolo de amor que tem o poder de diminuir as barreiras baseadas na religião, etnia ou cultura. A proposta de material foi elaborada pelo grupo e trabalho do CONIC.

O gesto bíblico de oferecer água a quem chega, como forma de boas-vindas e partilha, e algo presente em todas as religiões no Brasil. Espera-se que o estudo e a meditação propostos sobre a história de Jesus encontrando a mulher samaritana perto do poço possam ajudar as pessoas e as comunidades a perceber a dimensão dialógica do projeto de Jesus, que chamamos de Reino de Deus.

Contextos religiosos

O grupo de trabalho brasileiro procurou levar em conta os contextos religiosos do país, abordando, principalmente, o tema da intolerância religiosa. “A escolha da passagem bíblica de Jesus e a mulher samaritana foi feita devido ao forte significado desta cena para o encontro de culturas”, lembrou Romi, primeira mulher a assumir o posto de secretária-geral do CONIC. “Convidamos o CEBI para colaborar por causa de seu método de leitura popular da Bíblia, experiência bem brasileira”, acrescentou.

“Lamentavelmente, os últimos acontecimentos internacionais revelam o quanto a reflexão e ações concretas em favor do respeito à pluralidade são inadiáveis. Nosso testemunho enquanto cristãos e cristãs, ao longo da Semana, é o de afirmação de que a pluralidade é parte constitutiva do projeto de Deus”, concluiu Romi.

“No Brasil, o crescimento do fundamentalismo tem se tornado obstáculo para a afirmação do Estado laico”, afirmou Edmilson Schinelo, do CEBI. “As violações de direitos das minorias como, por exemplo, os grupos praticantes das religiões de matriz africana, muitas vezes vêm justificada por um discurso religioso carregado de intolerância”, acrescentou.

Edmilson ainda ressaltou o potencial que o material tem para a construção de diálogo entre diferentes expressões de fé. “O diálogo é um caminho permanente na construção da paz entre povos, culturas e religiões diferentes. Podemos saciar nossa sede bebendo também da água que o outro nos oferece”, encerrou.

As datas da semana e oração foram propostas em 1908 pelo Padre Paul Watson, por encaixarem-se entre as festas de São Pedro e São Paulo e, por isso, terem um simbolismo especial. No hemisfério Sul, no entanto, as igrejas celebram a Semana de Oração durante o Pentecostes, que é um momento simbólico para a unidade da Igreja. No Brasil, o CONIC historicamente lidera e coordena as celebrações da semana de oração em diversas regiões do país.

O CONIC foi fundado em 1982 e, atualmente, tem como membros a Igreja Católica Romana, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), a Igreja Presbiteriana Unida (IPU) e a Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia (ISOA). Os objetivos do CONIC estão ligados à promoção e estímulo das relações ecumênicas entre Igrejas cristãs e ao fortalecimento do testemunho comum delas em favor dos Direitos Humanos.

CLIQUE AQUI e baixe o cartaz em maior resolução.

Fonte: CONIC